Pré + Ocupação: a nuvem negra sobre nossas cabeças

Nuvem negra sobre um homem.

Crédito da imagem: Hugh Kretschmer

Aproveitando o tempo chuvoso aqui no Rio de Janeiro enquanto comecei a escrever isso, lembrei de um conceito que ouvi há algum tempo.

Já notou que, quando alguém está de mau humor, preocupado, ou com algum sentimento negativo, é como se estivesse com uma nuvem negra em cima da cabeça?

Continuar lendo

Fazendo o que posso, para fazer bem

malabarismo1

Crédito da imagem: ibahia.com

Chegamos ao meio do ano. Seis meses de textos no site, e eu gostaria muito de dizer que tudo que planejei em janeiro foi realizado ou está em andamento, que nada deu errado, que fiz apenas ajustes nas expectativas, que passei só por alguns obstáculos, que as coisas foram bem, dentro do esperado; que tudo vai conforme o planejado.

Bom… Não vai.

Mas não é por isso que eu vou jogar tudo fora.

Continuar lendo

Por que torcer pelo mais fraco?

costarica

Vamos deixar de lado por alguns instantes o vexame da nossa seleção, e analisar algo que aconteceu de curioso nessa Copa do Mundo.

Lembra da Costa Rica, a seleção que mais impressionou a todos nós? A zebra que chegou mais longe? Nove entre dez brasileiros torceram pra eles nas oitavas e nas quartas de finais.

Agora vamos lá… Por que costumamos torcer pelo mais fraco? Por que gostamos de ver os fortes perderem?

Continuar lendo

Expire…

Roman Mosaic Donated by President Bourguiba

Crédito da imagem: http://commonground.ca/

Esse texto foi escrito por minha esposa Márcia Tondello, uma das razões de minha vida e também uma das minhas maiores apoiadoras. Sem ela, eu provavelmente não estaria escrevendo. Convidei-a para falar de um tema que povoa muitas de nossas conversas em casa: a ansiedade.

A Márcia também escreve. Há mais tempo que eu, e melhor.
Visite os blogs dela: http://mtondello.wordpress.com/http://entretextomeiaspalavras.blogspot.com.br/

Continuar lendo

O ídolo que emociona o fã, e vice-versa

etoo-e-pedroivo

Copas do Mundo sempre são um prato cheio para aqueles que gostam de histórias. Existem aqueles que admiram as que acontecem dentro de campo: o gol mais bonito e o mais inacreditavelmente perdido; a seleção que surpreendeu e a que decepcionou; o jogador que deu uma cabeçada ou uma mordida no adversário… Fatos que, por bem ou por mal, serão eternizados.

Existe também o inusitado que acontece fora de campo, que da mesma forma tem seu lado bom e o ruim. Houve muitas brigas, preços surreais, estrangeiros que vieram pro Brasil e fizeram besteira (ao contrário do que a gente pensa, não é só brasileiro que é mal educado), e por aí vai. Mas eu quero falar sobre um pouco do que eu vi de bom durante essa Copa no Brasil. Continuar lendo

Um homem na cozinha, de consciência tranquila

Homem na cozinha

Crédito da imagem: cantinhobonita.blogspot.com

Um dia desses a rotina em casa mudou. Minha esposa, que vinha atuando como freelancer, com mais folga de horário e mais tempo em casa, precisou aceitar uma proposta de trabalho em horário comercial. Com isso nosso dia-a-dia sofreu algumas alterações.

Nossa filha precisou aprender a se virar sozinha um pouco mais do que antes, minha esposa teve que se readaptar ao ciclo do acorda/trabalha/volta/descansa (com o agravante de pegar um trânsito infernal todos os dias, e não mais de vez em quando), e eu não pude mais aproveitar aquele iniciozinho de noite pra ir pra academia, pois o trânsito prende minha esposa na rua, e alguém precisa preparar o jantar. Continuar lendo

12 razões para você finalmente ler/assistir a “Game of Thrones”

logo-got

Esse texto é para quem ainda não leu nem assistiu a “Game of Thrones”. Não digo nada aqui que um fã já não saiba. O que eu tento é explicar o porquê de adorarmos tanto essa história.

No próximo domingo dia 15 de junho, termina a quarta temporada de Game of Thrones na HBO (já??), um dos seriados mais sensacionais já produzidos, e que não deve nada aos livros originais.

Fala-se muito sobre GoT quando começa uma nova temporada. Cada uma têm dez episódios, produzidos de forma impecável. Os livros têm uma média de 700 páginas, mas a quarta temporada na TV ainda mostra acontecimentos do terceiro livro, então não é uma temporada para cada livro. É muita história para contar.

.

Então, por que você deveria ler e/ou assistir a Game of Thrones? Continuar lendo

Aceitando o medo de enlouquecer

Jack Nicholson, em "O Iluminado"

Escrevo esse texto com medo. De ser mal interpretado. De parecer frágil. De estar seguindo um caminho que não é o meu.

Alguns tipos de medo travam ou atrasam, mas luto todos os dias contra eles. Em alguns momentos, isso me cansa fisicamente. E quando o corpo manda esses sinais, principalmente na luta contra o medo, o melhor é aceitar, descansar e acordar revigorado no dia seguinte.

Tento usar meus medos como impulsos para enfrentar situações. Mas um desses medos vai provavelmente continuar comigo até o fim. Sua intensidade, e o quanto ele pode me controlar, só depende de mim mesmo.

É o medo de enlouquecer. Continuar lendo

Entrevista: Vânia Lima, coordenadora da Associação Saúde Criança

Vania Lima e uma criança

Crédito da foto: Luciana Golcman

Passei algum tempo da minha vida “querendo ser” voluntário, até que, um dia, entrei em contato com a Associação Saúde Criança.

Primeiro ajudei na tradução de alguns textos do site deles para inglês, e depois na divulgação de campanhas. Mais tarde resolvi ajudar financeiramente e apadrinhei uma criança. Procurei abrir um horário na minha semana para trabalhar como voluntário. Trabalhei durante um ano no Hospital da Lagoa/RJ, como recreador na ala pediátrica, todos os sábados de manhã, e interagi com crianças em diversos tipos de tratamento, entre eles câncer.

Foi assim que conheci Vânia Lima, coordenadora do Saúde Criança. Funcionária desde 2003, ela hoje faz eventos de divulgação e capta colaboradores, voluntários e padrinhos para as crianças e suas famílias. Continuar lendo

Problemas para dormir? Veja 8 dicas para uma noite mais tranquila

athenamedicalclinic.com

Crédito da imagem: athenamedicalclinic.com

Minha luta para conseguir dormir costuma acontecer nas noites de domingo para segunda. Ainda não tenho um diagnóstico definitivo. Alterno noites ruins com algumas péssimas. Felizmente, nas últimas semanas, senti uma leve evolução positiva. Tudo está relacionado à prática da resiliência (tentar lidar com os problemas sem surtar) e do mindfulness (estar presente no momento, sem se prender a preocupações improdutivas).

Aqui vão oito dicas para uma noite mais tranquila, que aprendi com uma amiga há algum tempo. Continuar lendo