Como sobreviver à síndrome da distração

blackhole

Fique olhando para o ponto e veja se o cinza desaparece.
(fonte da imagem: gweegwone.blogspot.com)

Sofremos com a síndrome da distração. Fazemos tudo ao mesmo tempo, checando email e mensagens na internet na rua; preocupados com o almoço na cozinha, e na sala com as notícias na TV; dirigindo e falando ao celular; no telefone com o gerente no escritório e enviando email a clientes. Na rua andamos preocupados com assaltos ou até mesmo um carro atravessando o semáforo enquanto você atravessa na faixa.

Fazemos tudo ao mesmo tempo, mas não nos dedicamos a nenhuma tarefa como deveríamos. Pior ainda, nem percebemos. Em alguma fase da nossa vida, passamos por isso.

Até ao relaxar, não nos concentramos em uma coisa só. Nas viagens de férias, quem não acessa a internet? O descanso é mal aproveitado. Não que se deva fazer isso sempre e se desconectar de tudo. Mas pode ser interessante de vez em quando soltar-se destas correntes e ver como a mente funciona melhor.

Continuar lendo

Meditando… 2 minutos que fazem a diferença

Businessman-Meditating

Nas últimas semanas decidi dedicar alguns minutos da minha rotina diária para a meditação. Ano passado fiz yoga, e meditar era o que eu mais gostava. Acabei parando com as aulas e não continuei a prática em casa.

Antes eu pensava que seria entediante e que não ia conseguir limpar a mente nem me concentrar. Desculpas me atrasaram anos, até eu descobrir que meditar foi um dos melhores ensinamentos que já tive. Continuar lendo

Por que você precisa dar o primeiro passo

Crédito da imagem: http://www.bubblews.com

Crédito da imagem: http://www.bubblews.com

Sentimentos de desânimo e de fraqueza eram constantes recentemente. Comecei a escrever, numa tentativa de sair do buraco que cavei sem perceber nos últimos anos. Passado algum tempo, os mesmos medos, inseguranças e incertezas voltaram a me assombrar, com novas roupas.

Continuar lendo

A caminhada

pes

Ando numa estrada num dia ensolarado. Apesar do sol, o clima é ameno neste instante, com uma brisa refrescante. Há várias pessoas caminhando junto comigo. Algumas delas, mais próximas de onde estou, me acompanham faz tempo, e conversamos sobre nossas experiências enquanto caminhamos. Nos últimos dias os passos que temos dado têm sido mais ou menos em linha reta. O chão é de asfalto e liso – pelo menos onde piso. Meus pés doem um pouco, mas a dor é suportável. Ao fundo, ouço a 9ª de Betthoven, como uma trilha sonora para o passeio. Continuar lendo

3 sugestões pros desempregados com mais de 35 anos

Desempregado

Quando uma pessoa está desempregada e passa de uma certa idade, mais ou menos depois dos 35, 40 anos, infelizmente o mercado de trabalho parece ainda mais fechado e difícil do que quando se é mais jovem. Não há nada de justo nisso, mas é a realidade. Tenho amigos que passaram por essa situação complicada e que continuam sofrendo esse preconceito que o setor de RH de algumas empresas têm. Continuar lendo

O que os hits do carnaval e o Big Brother Brasil têm em comum

lepolepo

Todo carnaval traz aquelas músicas (?!) chamadas de “hits do momento”. Esse “momento” costuma durar algumas semanas. Quem trouxe o tal “hit” tenta se aproveitar ao máximo daqueles dias, de fama e dinheiro sobrando, fazendo show (?!?!) atrás de show, aparecendo em programas de TV, dando entrevistas, aumentando o valor do cachê, e assim vai. O carnaval já passou faz quase um mês e ainda estão tentando secar a fonte. Ano que vem o roteiro será o mesmo, só vão mudar os protagonistas.

Continuar lendo

Pausa para respirar

Breathe - shamanscollective.com

Tem dias que você tem ideias, que se tornam ações, que por sua vez trazem resultados: positivos, neutros ou negativos. Analisa-se o resultado, ajustes são realizados em cima da ideia original, e assim vai, até que finalmente o objetivo inicial seja alcançado – ou não. Às vezes essas ideias repentinas vêm à mente completamente montadas, prontas, e não há outra alternativa a não ser registrá-las de alguma forma, em papel, vídeo, áudio ou no que quer que esteja mais à mão.

Continuar lendo

10 lições que você pode aprender com o gol 1000 do Túlio

tuliogol1000

Taí um cara que eu sempre admirei no futebol: Túlio Maravilha, ex-jogador da seleção, do Botafogo, Goiás, e dezenas de outros clubes. Nos anos 90, quando ele começou a chamar a atenção, foi como artilheiro e seu jeito extrovertido nas entrevistas, tirando onda de uma forma como há muito não se via no futebol. Túlio dizia que era “matador”. Que “não tinha culpa”, tinha “mania” de fazer gol. “Com Túlio em campo, não tem placar em branco”. Era o rei das frases feitas, marqueteiro e brincalhão sem a menor vergonha de dizer o que pensa, sempre com espírito esportivo. Foi até vereador em Goiânia.

Nos últimos dez anos, Túlio passou a aparecer mais nas notícias quando disse que estava chegando perto do seu gol número 1000. Muitos fizeram piada e duvidaram das contas. Não torço pelo Botafogo nem acredito piamente nas contas de Túlio. Mas o desafio que ele criou pra si mesmo pode trazer algumas lições.

Continuar lendo